Entrando no mercado

0056

Uma dúvida frequente de alunos e iniciantes no mercado de fotografia passa por como começar, a quem ou onde recorrer, como cobrar pelo serviço, enfim…

Confirmando e ratificando o que costumo dizer a meus alunos sobre consultar blogs, ler as notícias e buscar novidades, acompanho o “Blog do Vernaglia”, que sempre traz coisas boas, e hoje ele falava exatamente sobre isso. Assim, segue o texto escrito por ele para aqueles que querem saber um pouco do assunto. Aos poucos vamos discutindo outros pontos referentes ao tema.

“Muita gente me pergunta sobre como entrar no mercado, quanto cobrar pelo trabalho, de que forma conseguir clientes etc. Perguntam de tudo relacionado a esta profissão que executo. Como não sou help desk resolvi concentrar as respostas em um único texto, assim quem quiser saber sobre esses assuntos terá um guia rápido.

Sobre tornar-se profissional, o primeiro passo não é comprar a câmera, mas sim estudar e compreender o que é o mercado de fotografia. Quem compra e quem vende foto, por que uma imagem é usada num anúncio ou catálogo, baseado em que alguém contrata uma pessoa para registrar seu casamento e por aí vai.

Ao analisar esses pontos você compreende que existe algo mais complexo do que comprar câmera e sair “clicando” loucamente. Você terá responsabilidades para com os clientes, deverá respeitar o dinheiro que eles colocam em suas mãos e entregar um trabalho digno.

Assim como alguém entrega sua vida a um cirurgião, o fotógrafo tem em suas mãos o passado e o futuro de algo ou alguém. Ele poderá ser responsável por registrar fatos que não podem ser esquecidos, ou terá a missão de mostrar ao mercado o novo produto recém lançado, a nova moda que chega às lojas ou mesmo as notícias que estamparão capas de jornais.

O fracasso numa dessas áreas pode arruinar as memórias de um evento importante, prejudicar as vendas de um produto e causar demissões na empresa que o lançou, entre outros desastres possíveis quando temos fotos ruins envolvidas. A fotografia é uma profissão de responsabilidade, não se brinca com isso, não se faz testes com isso e não é um trabalho simples.

Se você entendeu direito que a coisa é mais séria e menos encantadora do que parecia, agora é hora do caminho das pedras, mas não prossiga se não concordar ou entender o que eu disse acima, pois o que está dito é verdadeiro e importante, se você acha que não, então não merece ser fotógrafo.

Comece pelos estudos técnicos e estéticos da fotografia, um não vive sem o outro, não adianta saber fotometria, profundidade de campo, foco, tempo de obturador e tantas outras questões técnicas se não souber compor os elementos que vão para dentro do enquadramento fotográfico com harmonia e beleza. Também não adianta ter idéias ótimas se não souber executá-las. Um bom curso básico de fotografia, boas leituras e muito treino iniciam a caminhada. Tempo investido: Entre 6 meses e um ano, não menos que isso pois o conhecimento precisa de tempo para se consolidar e essa consolidação é obtida com treino.

Passada a etapa básica, procure cursos mais especializados, direcionados ao segmento de mercado de seu interesse, se gostar por exemplo de fotografia de moda, busque referências como boas revistas, livros, visite agências de modelos e faça cursos com fotógrafos especializados na área. Tempo investido: aproximadamente um ano, ou mais.

Neste ponto, você será um iniciante, é algo como um estagiário se compararmos com outras profissões, mas já terá noções de um mercado e da fotografia, poderá oferecer trabalho a amigos e conhecidos e também ser assistente de fotógrafos de sua área de interesse.

Sobre ser assistente, entenda: o profissional que lhe der emprego o faz pois precisa de seu trabalho, ele não será seu professor e sim seu contratante, nunca se esqueça disso. Você aprenderá pela vivência e observação, mas terá que trabalhar duro em atividades muitas vezes não relacionadas ao ato fotográfico. O assistente limpa estúdio, vai buscar provas na gráfica, sai correndo para comprar algo que faltou, carrega um monte de equipamento para cima e para baixo, fica no computador descarregando fotos etc. Com o tempo e sendo dedicado pode começar a ter mais participação no trabalho até que vire segundo fotógrafo dentro da equipe ou do estúdio.

Enquanto você é assistente dificilmente poderá ser fotógrafo solo, se tentar, surgirão conflitos de agenda e perderá o emprego facilmente. Dedique-se a este período, não tenha pressa. O período como assistente e fazendo trabalhos para amigos e parentes a preço de custo dura aproximadamente dois anos.

É chegada a hora, se nesse tempo todo você treinou fotografia todo dia, mais de uma hora por dia, se prestou atenção no trabalho do fotógrafo principal para quem trabalha além de ter lido muito para ter preparo técnico e estético, hora de alçar vôo solo.

Levou 4 anos para chegar aqui, é como uma faculdade e neste ponto você é só um iniciante, é o funcionário que acabou de ser efetivado após o estágio, falta muito ainda, mas se fizer tudo desta forma terá agido da maneira certa, estará treinado e apto a entrar no mercado. Com menos do que esses quatro anos de treino e estudo dificilmente você conseguirá sucesso no mercado.


Armando Vernaglia Jr

Site – www.vernaglia.com.br
Blog – blog.vernaglia.com.br
Flickr – www.flickr.com/armandovernaglia/
Videos – www.vimeo.com/vernaglia/

~ por Raphael Fraga em 17/04/2009.

3 Respostas to “Entrando no mercado”

  1. Excelente artigo!
    Abs

  2. Texto nota dez! Vivo à procura de informações como esta!
    Obrigada.

  3. Bacana, Rafa!
    Gostei muito do texto! Valeu!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: